Estudos indicam benefícios da vitamina D na fertilidade

Estudos médicos desenvolvidos nos últimos anos apontam a relação entre a vitamina D e a Foto: Estudos indicam benefícios da vitamina D na fertilidadeEstudos médicos desenvolvidos nos últimos anos apontam a relação entre a vitamina D e a fertilidade. Receptores dessa vitamina estão presentes em células importantes do sistema reprodutor, tanto masculino quanto feminino - o que sugere que ela pode ter um papel nesse sistema.Já são conhecidos alguns benefícios da vitamina D na formação dos ossos e dentes. Mais recentemente, as pesquisas têm apontado seu possível efeito em diversos sistemas do corpo, como o imunológico e circulatório. E, entre eles, também o reprodutor. "Começaram a surgir alguns trabalhos mostrando alguma relação entre a vitamina D e a fertilidade desde 2008 e 2009", afirma Jorge Haddad, especialista em reprodução assistida da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).A revista médica European Journal of Endocrinology publicou uma revisão conduzida por pesquisadores da Universidade Médica de Graz, na Áustria, que coletou estudos de relevância sobre a relação da vitamina D com a fertilidade publicados até outubro de 2011. Eles consistiam principalmente em trabalhos realizados com animais, ou observações de grupos com baixos índices de vitamina D em comparação com aqueles com índices regulares.A revisão apontou que há uma correlação entre menores níveis de vitamina D e a baixa fertilidade. "Até hoje, não se achou a relação de causa e efeito. Mas, estatisticamente, parece que, se a vitamina D está equilibrada, a taxa de gravidez é melhor", diz Jorge. "Como a vitamina ajuda em todos os órgãos, quando há falta, o corpo vai agir melhor se ela for suprida. A melhora da reprodução seria um aspecto da melhora geral", acredita o médico.Embora não se saiba exatamente o efeito da vitamina na fertilidade, a presença de receptores de vitamina D nos ovários, no folículo ovariano (conjunto de células que inclui o ovócito), no endométrio (tecido que reveste o interior do útero), na placenta e na hipófise (glândula que produz hormônios importantes para a reprodução), na mulher, e no espermatozoide, no homem, indicaria que ela pode ter papel nessas células e tecidos.A revisão aponta que, na mulher, a vitamina D poderia reduzir as chances de abortamento. "Como há receptores no endométrio, provavelmente a vitamina D nesse tecido favorece a implantação", explica o médico. Nas mulheres, a vitamina D poderia ainda melhorar a frequência menstrual e controlar os distúrbios metabólicos relacionados à Síndrome do Ovário Policístico - doença que acomete entre 5 e 10% das mulheres em idade fértil e que pode levar a problemas de fertilidade.Além disso, a vitamina D pode estar associada a melhores resultados de fertilização in vitro. A vitamina D estaria relacionada ainda ao crescimento do óvulo e à produção de hormônios sexuais. "Mas não há nada demonstrado", ressalta o especialista.Nos homens, a localização dos receptores nos testículos ainda é incerta. O estudo aponta, no entanto, que a vitamina D poderia favorecer a maturação do espermatozoide e seu decréscimo reduziria a contagem e a mobilidade dessas células. Além disso, a vitamina D poderia aumentar a produção de testosterona, hormônio masculino importante para a produção de espermatozoides e para o desejo sexual.Tratamento com vitamina DAinda que a influência da vitamina D na fertilidade não esteja comprovada, Jorge afirma que a utiliza em pacientes que apresentaram nível deficiente dela - a medição se dá por exame de sangue. "Do ponto de vista prático, eu dou. Não vai fazer mal ao paciente. Com isso, espero melhorar a taxa de gravidez", afirma. Segundo ele, casos como abortamento de repetição e falhas de implantação são aqueles nos quais a vitamina é mais receitada, embora não seja norma no meio médico.O tratamento com vitamina D deve ser controlado por um médico. O excesso da vitamina pode ser prejudicial à saúde, causando problemas como danos ao coração e fragilidade nos ossosFonte: TERRAfertilidade. Receptores dessa vitamina estão presentes em células importantes do sistema reprodutor, tanto masculino quanto feminino – o que sugere que ela pode ter um papel nesse sistema.

Já são conhecidos alguns benefícios da vitamina D na formação dos ossos e dentes. Mais recentemente, as pesquisas têm apontado seu possível efeito em diversos sistemas do corpo, como o imunológico e circulatório. E, entre eles, também o reprodutor. “Começaram a surgir alguns trabalhos mostrando alguma relação entre a vitamina D e a fertilidade desde 2008 e 2009”, afirma Jorge Haddad, especialista em reprodução assistida da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A revista médica European Journal of Endocrinology publicou uma revisão conduzida por pesquisadores da Universidade Médica de Graz, na Áustria, que coletou estudos de relevância sobre a relação da vitamina D com a fertilidade publicados até outubro de 2011. Eles consistiam principalmente em trabalhos realizados com animais, ou observações de grupos com baixos índices de vitamina D em comparação com aqueles com índices regulares.

A revisão apontou que há uma correlação entre menores níveis de vitamina D e a baixa fertilidade. “Até hoje, não se achou a relação de causa e efeito. Mas, estatisticamente, parece que, se a vitamina D está equilibrada, a taxa de gravidez é melhor”, diz Jorge. “Como a vitamina ajuda em todos os órgãos, quando há falta, o corpo vai agir melhor se ela for suprida. A melhora da reprodução seria um aspecto da melhora geral”, acredita o médico.

Embora não se saiba exatamente o efeito da vitamina na fertilidade, a presença de receptores de vitamina D nos ovários, no folículo ovariano (conjunto de células que inclui o ovócito), no endométrio (tecido que reveste o interior do útero), na placenta e na hipófise (glândula que produz hormônios importantes para a reprodução), na mulher, e no espermatozoide, no homem, indicaria que ela pode ter papel nessas células e tecidos.

A revisão aponta que, na mulher, a vitamina D poderia reduzir as chances de abortamento. “Como há receptores no endométrio, provavelmente a vitamina D nesse tecido favorece a implantação”, explica o médico. Nas mulheres, a vitamina D poderia ainda melhorar a frequência menstrual e controlar os distúrbios metabólicos relacionados à Síndrome do Ovário Policístico – doença que acomete entre 5 e 10% das mulheres em idade fértil e que pode levar a problemas de fertilidade.

Além disso, a vitamina D pode estar associada a melhores resultados de fertilização in vitro. A vitamina D estaria relacionada ainda ao crescimento do óvulo e à produção de hormônios sexuais. “Mas não há nada demonstrado”, ressalta o especialista.

Nos homens, a localização dos receptores nos testículos ainda é incerta. O estudo aponta, no entanto, que a vitamina D poderia favorecer a maturação do espermatozoide e seu decréscimo reduziria a contagem e a mobilidade dessas células. Além disso, a vitamina D poderia aumentar a produção de testosterona, hormônio masculino importante para a produção de espermatozoides e para o desejo sexual.

Tratamento com vitamina D
Ainda que a influência da vitamina D na fertilidade não esteja comprovada, Jorge afirma que a utiliza em pacientes que apresentaram nível deficiente dela – a medição se dá por exame de sangue. “Do ponto de vista prático, eu dou. Não vai fazer mal ao paciente. Com isso, espero melhorar a taxa de gravidez”, afirma. Segundo ele, casos como abortamento de repetição e falhas de implantação são aqueles nos quais a vitamina é mais receitada, embora não seja norma no meio médico.

O tratamento com vitamina D deve ser controlado por um médico. O excesso da vitamina pode ser prejudicial à saúde, causando problemas como danos ao coração e fragilidade nos ossos

Fonte: TERRA

Anúncios

4 comentários sobre “Estudos indicam benefícios da vitamina D na fertilidade

  1. Pingback: Vitamina D pode retardar a puberdade precoce em meninas | Vitamina D – Brasil

  2. Pingback: Estudo: níveis de vitamina D predizem a gravidez após a fertilização in vitro | Vitamina D – Brasil

  3. Pingback: A vitamina D e a fertilidade feminina | Vitamina D – Brasil

  4. Pingback: Níveis de vitamina D e o sucesso reprodutivo: uma nova revisão sistemática | Vitamina D – Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s