Novo estudo controlado randomizado diz, a vitamina D previne e retarda a esclerose múltipla

Boa notícia para aqueles com alto risco de desenvolvimento de esclerose múltipla! Um novo shutterstock_46865710estudo do Irã informa que a suplementação de vitamina D pode prevenir ou retardar o aparecimento da esclerose múltipla.

Muitas vezes o que é chamado de “síndrome clinicamente isolada” (CIS) é a primeira manifestação neurológica da esclerose múltipla. Um paciente tem um sintoma neurológico pela primeira vez e seu médico irá chama-lo de CIS. Em seguida pedirá uma ressonância magnética cerebral para verificar se o paciente com CIS também possuem lesões cerebrais. Se fizerem isto, o paciente está em alto risco de desenvolver a doença. Na verdade, em 90% dos casos de EM, o CIS é o primeiro sinal clínico.

Então o que é a CIS? Um dos tipos mais comuns de CIS é neurite óptica. Pessoas com neurite óptica experimentam perda de visão, conforme o nervo óptico da retina se torna inflamado. Vinte por cento dos pacientes com EM tem neurite óptica e vice-versa, 50% dos pacientes com neurite óptica desenvolvem EM no prazo de 15 anos.

Quando um paciente tem uma experiência de CIS e outros testes determinam que o paciente tem um risco elevado para a EM, o paciente e o médico desejam tomar medidas imediatas para prevenir ou retardar o aparecimento da progressão da doença e EM.

Neste estudo, os pesquisadores da Universidade de Ciências Médicas de Isfahan, liderados pelo Dr. Hajar Derakhshandi, queriam saber se um paciente apresentando neurite óptica começar a tomar vitamina D, irá diminuir seu risco ou retardar o aparecimento da EM?

Os pesquisadores projetaram um estudo randomizado controlado. Eles inscreveram 30 pacientes recentemente diagnosticados com neurite óptica e foram, então, randomizados para tomar vitamina D3 50.000 UI/semana ou placebo/semana, com duração de 12 meses. Treze doentes no grupo da vitamina D completaram o estudo e 11 completaram no grupo placebo.

Após 12 meses, os pesquisadores descobriram o seguinte:

  • Os níveis basais de vitamina D do grupo da vitamina D  foram de 13,7 ng/ml e 16,4 ng/ml no grupo placebo. Os autores não relataram os níveis de vitamina D após o ensaio, mas mencionaram que os níveis de vitamina D foram “otimizados” no grupo da vitamina D e não no grupo de placebo (o que seria esperado a 50.000 UI / semana).
  • Zero pacientes no grupo da vitamina D experimentaram um segundo ataque desmielinizante, enquanto que cinco dos 11 pacientes tratados com placebo tiveram e isto foi estatisticamente altamente significativo (p = 0,007). Quando um paciente sofre um segundo ataque desmielinizate, a EM é diagnosticada. Assim, esta é uma outra maneira de dizer, zero dos pacientes do grupo de vitamina D foram diagnosticados com EM nestes 12 meses, enquanto que 5 dos 11 pacientes do grupo placebo o foram.
  • As taxas de incidência de resultados positivos de MRI, como buracos negros, cortical, justacortical, corpus callosum, gadolínio, e novas lesões T2 foram significativamente menores no grupo de tratamento com vitamina D que no grupo placebo. A taxa de incidência de buracos negros no grupo de vitamina D foi de 84% menor que no grupo placebo.

Os pesquisadores concluem:

“Nossos resultados indicam que a vitamina D3 protege os pacientes de neurite óptica desenvolvendo EM… Os efeitos imunomoduladores da vitamina D3 podem retardar ou prevenir recaídas futuras em pacientes de CIS, mesmo após o primeiro ataque desmielinizante, reduzindo assim o risco de desenvolvimento de esclerose múltipla”.

Além disso, os pesquisadores recomendam:

“Sugerimos a otimização dos níveis séricos de 25(OH)D  em todos os pacientes com neurite óptica que possuam baixos níveis desta vitamina. Propomos também que todos os pacientes de CIS que estejam em risco de desenvolvimento de EM devam ser tratados da mesmo forma. “

Aqui, neste estudo, os pesquisadores encontraram resultados usando 50.000 UI de vitamina D3/semana, o que é equivalente a 7000 UI / dia.

Referências

Derakhshandi H et al. Preventive effect of vitamin D3 supplementation on conversion of optic neuritis to clinically definite multiple sclerosis: a double blind, randomized, placebo-controlled pilot clinical trial. Acta Nerol Belg, 2012

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte Vitamin D Council

Anúncios

3 comentários sobre “Novo estudo controlado randomizado diz, a vitamina D previne e retarda a esclerose múltipla

  1. Pingback: Estudo constata que tratamento para EM aumenta a produção de vitamina D | Vitamina D – Brasil

  2. Pingback: Em hospitais, a deficiência de vitamina D está associada a uma variedade de doenças imuno-mediadas | Vitamina D – Brasil

  3. Pingback: Níveis de vitamina D associados com a atividade e a progressão da esclerose múltipla | Vitamina D – Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s