A vitamina D pode ajudar alguns pacientes de Parkinson

Em razão dos seus genes, alguns pacientes de Parkinson podem ser capazes de retardar a Parkinsonsua deterioração, tomando suplementos de vitamina D, de acordo com um pequeno estudo no Japão.

Pesquisadores designaram aleatoriamente 114 pessoas com doença de Parkinson para tomar diariamente vitamina D ou placebo, durante um ano, e constataram que a condição neurológica não avançou tanto naqueles que tomaram suplementos em comparação com os que tomaram placebos. Mas isso foi verdadeiro apenas para as pessoas com determinadas versões de um gene para o receptor de vitamina D.

Dr. Lin Zhang, que não estava envolvido no trabalho, mas estuda as deficiências nutricionais em pessoas com Parkinson chamou os resultados “muito promissores”, mas pediu cautela na interpretação dos resultados.

“Estamos apenas começando a reconhecer os potenciais benefícios da vitamina D em retardar a progressão da doença de Parkinson e não temos nenhuma maneira de saber a dosagem exata que uma pessoa deve tomar com ou sem tais genótipos”, disse Zhang, da Universidade de Califórnia, Davis.

Estudos anteriores consttaram que as pessoas com doença de Parkinson têm baixos níveis circulantes de vitamina D no seu sangue, apesar de nenhum ter estabelecido se a deficiência da vitamina é a causa ou o efeito da doença.

O corpo produz vitamina D a partir de exposição à luz solar e utiliza-o para ajudar a obter o cálcio nos ossos, entre outras funções. A própria vitamina ativa uma proteína do receptor nas células que desencadeia a atividade de uma variedade de genes.

Para o novo estudo, os pesquisadores recrutaram 114 pacientes com Parkinson entre 45 e 85 anos, para ver se a ingestão de suplementos de vitamina D mudaria o quão rápido os sintomas da doença de Parkinson progrediram.

Destes, 56 pacientes tomaram 1.200 unidades internacionais de vitamina D por dia, durante 12 meses, e 58 tomaram placebos para o mesmo período de tempo.

No início do estudo, cerca de 45 pacientes em cada grupo marcaram um 1 ou 2, numa escala de cinco pontos, que mede a deficiência da doença de Parkinson. A pontuação de 1 representa a menor deficiência, enquanto 5 está acamado.

Medidas de incapacidades incluem se uma pessoa tem ou não dificuldades de movimentos, problemas de equilíbrio e se pode se locomover por conta própria.

No final do ano, os pesquisadores descobriram que 16 pessoas no grupo tomando suplementos não pioraram na escala de cinco pontos, em comparação com 7 pessoas cujos sintomas permaneceram estáveis ​​no grupo tomando placebo.

Mas quando eles olharam para os pacientes ” com genes de receptores de vitamina D, os pesquisadores descobriram que as pessoas com a versão do gene conhecido como FokI TT se beneficiaram mais dos suplementos, seguidos por aqueles com a variante CT FokI, em comparação com as pessoas no grupo placebo. Em pessoas com o genótipo CC FokI não houve beneficio a todos.

Resultados semelhantes foram observados por outra medida de sintomas de Parkinson, de acordo com o relatório no American Journal of Clinical Nutrition.

Zhang disse à Reuters Health, os resultados sugerem que as pessoas com o TT FokI e variantes Foki CT respondem à vitamina D adicional melhor que aqueles com a versão CC FokI do gene.

Apenas 14 por cento dos participantes do estudo tinha a versão do gene TT, enquanto 52 por cento tinha o genótipo CT e 34 por cento tinha a versão CC do gene. Essas proporções são de acordo com a maioria das populações, onde entre 8 e 18 por cento das pessoas têm a variante TT, de acordo com os pesquisadores e entre 46 e 58 por cento dos não-asiáticos têm a variante CT.

Não se verificaram diferenças nos níveis circulantes iniciais de vitamina D entre os participantes do estudo e cerca de metade iniciou com níveis considerados deficientes. Todos os pacientes que receberam o suplemento tiveram mais ou menos o dobro da quantidade de D na corrente sanguínea até o final do estudo, enquanto os níveis no grupo placebo não se alteraram.

O grande número de participantes que tomaram vitamina D, cujos sintomas não pioraram ao longo do ano, sugere que a suplementação de vitamina D pode estabilizar “a gravidade da doença de Parkinson em pacientes com FokI CT e genótipos TT em um curto período de tempo”, concluem os autores do estudo.

Mas há questões ainda não respondidas. Entre elas, se os efeitos da vitamina D podem ser responsáveis ​​pelas diferenças de sintomas observados no final do estudo.

Pesquisas anteriores já constataram que a vitamina pode melhorar a força muscular e o equilíbrio em idosos, por exemplo. Assim, os pesquisadores disseram que não podem ter certeza se o Parkinson dos pacientes não progrediu naqueles que tomaram os suplementos D ou somente melhorou seus equilíbrios.

“Se fizermos o mesmo estudo, visando uma geração mais antiga, sem a doença de Parkinson e obtivermos os mesmos resultados, isto irá sugerir que o efeito observado no presente estudo foi apenas de melhora do equilíbrio”, disse o Dr. Mitsuyoshi Urashima, autor sênior do estudo de Jikei University School of Medicine, em Tóquio, em um email à Reuters Health.

Até que mais estudos sejam feitos, Zhang disse que há muitas variáveis ​​para emitir uma recomendação geral para todos os pacientes de Parkinson tomarem vitamina D.

“O ponto principal é que existem muitos outros fatores para levar em consideração”, disse ele.

Referências

Randomized, double-blind, placebo-controlled trial of vitamin D supplement in Parkinson’s disease”. Autores: Masahiko Suzuki, Masayuki Yoshioka, Masaya Hashimoto, Maiko Murakami, Miki Noya, Daisuke Takahashi e Mitsuyoshi Urashima

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte REUTERS

Leia também:

Anúncios

Um comentário sobre “A vitamina D pode ajudar alguns pacientes de Parkinson

  1. Pingback: Vitamina D e a doença de Parkinson: uma nova revisão sistemática e meta-análise | Vitamina D – Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s