A reparação da medula espinhal com vitamina D: uma estratégia promissora

Até o momento, o uso de auto-enxerto de tecido permanece a técnica “padrão ouro” para a 3rd-leadreparação dos nervos periféricos lesionados, no entanto, esta recuperação ainda é abaixo da ideal. Desta forma, pesquisadores agora estão focando a atenção sobre a vitamina D, uma molécula cujas ações neurotróficas e neuroprotetoras estão cada vez mais sendo reconhecidas.

Em 2014, um ensaio clínico randomizado, duplo-cego, avaliando a eficácia da vitamina D3 em pacientes com trauma cervical deverá ser realizado por pesquisadores da Universidade Aix Marseille, na França. Este ensaio decorre de estudos anteriores que demonstram que a suplementação de vitamina D melhora a recuperação funcional em modelos de lesão nervosa em ratos.

Numa primeira série de experiências os cientistas demonstram que a vitamina D2 potencializa a regeneração dos axônios, que consistem em uma parte do neurônio responsável pela condução dos impulsos elétricos até um outro local mais distante (como um músculo ou outro neurônio).

Vitamin D2 potentiates axon regeneration, J Neurotrauma. 2008 Oct;25(10):1247-56. doi: 10.1089/neu.2008.0593.

Em seguida, em um novo estudo, eles compararam a vitamina D2 com a vitamina D3 e observaram que a última é ainda mais eficiente. Na dose de 500 UI/kg/dia, a vitamina D3 induziu uma recuperação funcional importante. Foi demonstrado ainda que ela potencializa a regeneração dos axônios, a mielinização da neurite, bem como a expressão de genes envolvidos na axogênesis e na mielinização.

Cholecalciferol (vitamin D₃) improves myelination and recovery after nerve injury. PLoS One. 2013 May 31;8(5):e65034. doi: 10.1371/journal.pone.0065034. Print 2013.

Paralelamente os pesquisadores também avaliaram o papel terapêutico da vitamina D sobre o sistema nervoso central. Em um primeiro estudo, utilizando um modelo de compressão da medula espinhal ao nível torácico em ratos, eles administraram vitamina D3, por via oral, na dose de 50 UI/kg/dia ou 200 UI/kg/dia. Quando comparados ao grupo controle, três meses após lesão os ratos tratados com vitamina D revelaram uma melhoria significativa da freqüência respiratória e uma redução do reflexo H indicando melhorias funcionais.

Vitamin D₃ improves respiratory adjustment to fatigue and H-reflex responses in paraplegic adult rats. Neuroscience. 2011 Aug 11;188:182-92. doi: 10.1016/j.neuroscience.2011.04.066. Epub 2011 May 7.

Em um segundo estudo,  utilizado um modelo de hemissecção cervical em ratos, eles utilizaram uma dose mais elevada de vitamina D3 por via oral (500 UI/kg/dia) administrada semanalmente, durante 12 semanas. Os pesquisadores observaram uma melhora na recuperação locomotora, uma redução na espasticidade e uma taxa significativamente mais elevada de axônios cruzando o local da lesão nos animais tratados. No entanto, eles salientam que a melhora funcional foi reduzida quando a vitamina D foi fornecida uma semana após o trauma.

Assim, o conjunto de dados desta sequência de estudos, assim como também de outros, indicam que a suplementação com vitamina D possa potencializar a regeneração dos nervos, demonstrando seu potencial terapêutico após a lesão.

Fonte

Repairing the spinal cord with vitamin D: a promising strategy. Jun 2014.

** Se você gostou deste post, por favor considere “curtir” a página Vitamina D – Brasil no Facebook.

Leia também:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s