Pessoas deficientes em vitamina D têm cartilagem mais fina, diz novo estudo

Pesquisadores turcos do Ankara Physical Medicine and Rehabilitation Training and knee-pain-e1390003715197-620x412Research Hospital, em Ancara publicaram recentemente um artigo detalhando a conexão entre os níveis de 25(OH)D e o risco de desenvolvimento de osteoartrite:

Malas FU, Kara M, Aktekin L, Ersöz M, Ozçakar L. Does vitamin D affect femoral cartilage thickness? An ultrasonographic study. Clin Rheumatol. 2013.

A osteoartrite (OA) é a forma mais comum de artrite em todo o mundo. Em pessoas com OA, a cartilagem das articulações se desgasta ao longo do tempo, causando dor. É comumente referida como artrite de “desgaste” para diferenciá-la da desordem auto-imune artrite reumatóide. Fatores de risco para OA incluem a idade, obesidade, lesões anteriores, e ser do sexo feminino.

Uma ingestão adequada de vitamina D é necessária para o volume normal dos ossos e da cartilagem e pesquisas epidemiológicas anteriores demonstraram uma ligação entre baixos níveis de vitamina D e a OA do joelho. Uma menor ingestão de vitaminas lipossolúveis (A, D, E, e K) também tem sido associada a um risco aumentado de desenvolvimento de OA.

Por estas razões, os pesquisadores decidiram explorar mais esta conexão entre os níveis de vitamina D e a OA. Eles recrutaram 80 mulheres entre as idades de 20 e 45 anos que não tinham dor ou problemas com seus joelhos. As mulheres foram divididas em três grupos com base em seus níveis de vitamina D:

  • <10 ng/mL
  • > 10 ng/mL e <20 ng/mL
  • > 20 ng/mL

Os pesquisadores mediram então a espessura da cartilagem nos joelhos das mulheres por ultra-som. No grupo <10 ng/ml, a cartilagem dos joelhos era mais fina em todos os locais medidos quando comparada com os outros grupos de mulheres. No entanto, apenas as medições do côndilo medial esquerdo foram estatisticamente significativamente mais finas. Os pesquisadores concluíram que ser severamente deficiente em vitamina D aumenta o risco de desenvolvimento de OA.

Este estudo é interessante porque é o primeiro a medir a espessura da cartilagem do joelho com ultra-som e compará-lo com níveis de vitamina D. Os resultados são mais confiáveis, porque somente as mulheres mais jovens, sem quaisquer problemas no joelho foram incluídas e as mulheres que poderiam ter tido outros problemas de saúde que poderiam afetar suas articulações do joelho foram excluídas. Alguns pontos fracos incluem uma baixa quantidade de participantes do estudo, incluindo apenas as mulheres e a vitamina D ser medida apenas uma vez durante o estudo.

Ainda assim, um número crescente de pesquisas indicam que ter um baixo nível de vitamina D pode colocá-lo em risco de desenvolver OA. Além disso, um estudo no ano passado sugeriu que a suplementação de vitamina D poderia ser capaz de ajudar com a dor associada à OA . Isso dá razão para que, se você tem ou se preocupa com a OA, certificar-se de que você está suficiente em vitamina D é uma das muitas medidas que poderá tomar para melhorar o seu prognóstico.

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte Vitamin D Council

** Se você gostou deste post, por favor considere “curtir” a página Vitamina D – Brasil no Facebook.

Leia também:

Anúncios