Níveis adequados de vitamina D essenciais para a manutenção da saúde de receptores de transplante renal

Níveis adequados de vitamina D são importantes para a manutenção da saúde de vitamin-d1-300x228transplantados renais, de acordo com um estudo que irá ser apresentado de 5 a 10 de novembro na ASN Kidney Week 2013 no Georgia World Congress Center, em Atlanta, GA.

No estudo, que incluiu 264 pacientes transplantados renais, pesquisadores liderados por Yoshitsugu Obi, MD, PhD (Osaka University Graduate School of Medicine, no Japão), foram medidos no seu início os níveis sanguíneos de vitamina D dos pacientes e examinada a associação com o declínio da função renal, episódios de rejeição e de morte.

Os níveis de vitamina D tiveram uma relação quase linear com o declínio anual da função renal. E também, com a suficiência de vitamina D (≥ 20 ng/ml) como referência, a insuficiência de vitamina D (≥ 12 e <20 ng/mL) e a deficiência (<12 ng / mL), mostraram associações significativas dose-dependentes, com maior risco de rejeição do órgão e de morte.

“Baixos níveis de vitamina D preveem resultados adversos do aloenxerto e a suplementação de vitamina D logo após o transplante renal pode melhorar os resultados dos pacientes”, concluíram os autores.

Fonte NewsMedical

** Se você gostou deste post, por favor considere “curtir” a página Vitamina D – Brasil no Facebook.

Leia também:

Estudo constata que níveis séricos de vitamina D não estão associados com a ocorrência de cálculos renais

Um estudo multi-anual de pessoas que tomam suplementos de vitamina D com níveis 84502_story__drink-more-water-420x420séricos de 25-hidroxivitamina D [25 (OH) D] no intervalo de 20 a 100 ng/ml não demonstrou um aumento do risco de cálculos renais.

O estudo foi patrocinado pela GrassrootsHealth (GRH), uma organização de pesquisa em saúde pública sem fins lucrativos e foi conduzido pelo Dr. Cedric Garland, professor do Departamento da Família e Medicina Preventiva da Universidade da Califórnia, em San Diego. A equipe de pesquisa usou dados coletados de 2.012 participantes inscritos no estudo D*action da GRH. Os participantes foram acompanhados por uma média de 19 meses, todas as idades e ambos os sexos foram incluídos. A média  de 25(OH)D foi de 45 ng/ml, o que é mais elevado que a maioria dos outros coortes.

Evidências demonstram que os níveis séricos de 25(OH)D entre 40 e 60 ng/ml proporcionam uma redução substancial no risco de muitas doenças, incluindo determinados tipos de cânceres e diabetes. A suplementação de vitamina D é muitas vezes necessária para alcançar esses níveis, mas há uma preocupação com o risco de cálculos renais com a suplementação.

“Muitos médicos têm receio de recomendar doses de vitamina D que produzam os níveis séricos de 25(OH)D encontrados neste estudo, o que corresponde à ingestão de aproximadamente 4.000 UI/dia de vitamina D3 em adultos. Os resultados deste estudo devem libertá-los de qualquer preocupação sobre o aumento substancial do risco de cálculos renais, devido à concentrações de 25(OH)D e ingestão de vitamina D neste intervalo”, disse Garland. “E sabemos que não há outros riscos à estes níveis para quase todas as pessoas de 9 anos de idades ou mais velhas.”

Treze indivíduos relataram ter cálculos renais durante o tempo do estudo; as ocorrências foram confirmadas por registros médicos ou de entrevistas. O estudo não encontrou associação estatisticamente significativa entre níveis séricos de 25(OH)D e o risco de cálculos renais. Na verdade, os pesquisadores descobriram uma tendência não significativa para menor incidência de cálculos renais para aqueles com maiores níveis séricos de 25(OH)D.

Idade mais avançada, sexo masculino e maior índice de massa corporal (IMC) foram fatores de risco de cálculos renais. O IMC foi a única covariável significativa onde os indivíduos com um IMC de 30 ou superiores tiveram um risco 3 vezes maior de desenvolver cálculos renais.

O resultado do estudo surgiu esta semana no American Journal of Public Health. O documento está disponível como uma publicação de acesso aberto.

Dr. Garland foi acompanhado por Stacie Nguyen, Leo Baggerly e Christine French da GrassrootsHealth; Robert P. Heaney da GrassrootsHealth e do Departamento de Medicina da Universidade de Creighton, em Omaha, Nebraska, e Edward D. Gorham do Departamento de Família e Medicina Preventiva da UC San Diego.

O estudo foi financiado pelos participantes do estudo D*action na GrassrootsHealth.

Referências

25-Hydroxyvitamin D in the Range of 20 to 100 ng/mL and Incidence of Kidney Stones

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte GrassrootsHealth

Leia também: