Um novo estudo do Egito relata que a vitamina D pode reduzir a incidência de crises em pacientes com lupus

Dra. Anna Abou-Raya, MD, PhD, e colegas da Universidade de Alexandria, no Egito, shutterstock_118013044-620x413recentemente publicados a partir de um estudo controlado randomizado, em que 267 pacientes com LES foram randomizados para receber 2.000 UI/dia (n=178) de vitamina D3 ou placebo (n=89) durante 1 ano. Eles também incluíram um grupo de participantes saudáveis ​​(n=175), para comparar as características basais entre pacientes saudáveis ​​e pacientes com LES.

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica auto-imune em que o sistema imunológico do corpo ataca equivocadamente o tecido saudável. LES ocorre mais freqüentemente em mulheres com idades entre 10 e 50. A doença geralmente provoca dores nas articulações e inchaço, com alguns experimentando artrite, perda de cabelo, feridas na boca, sensibilidade à luz solar, fadiga crônica e dor no peito. O curso da doença pode ser irregular, com períodos de doença (crises) alternando com remissões.

Para iniciar, a média de 25 (OH) D na baseline para todos os pacientes com LES foi de 19,8 ng/ml em comparação com 28,7 ng/ml nos controles saudáveis. Após 12 meses de tratamento, a média do nível de 25 (OH) D no grupo de vitamina D aumentou para 37,8 ng/ml, em comparação com nenhuma alteração no grupo placebo. Neste ensaio clínico randomizado, os níveis de vitamina D, atividades da doença e marcadores de inflamação foram todos medidos antes e depois do tratamento. Os pesquisadores descobriram:

  • Ao longo do ano, apenas 10% dos pacientes do grupo da vitamina D experimentaram um surto, em comparação com 24% sofrendo surtos no grupo placebo no decurso do ano (p <0,05).
  •  Os autores verificaram uma redução significativa em anticorpos relacionados ao LES (indicador de inflamação) no grupo da vitamina D em comparação com o grupo placebo (p = 0,05).

Em análises posteriores, os autores descobriram:

  • Níveis de 25 (OH) D foram menores entre os pacientes que apresentam crises ativas de LES.
  • Significativamente maior atividade da doença LES foi observada em participantes com grave deficiência de vitamina D (p = 0,01).

Com base nos resultados do estudo, os autores sugerem que o aumento da vitamina D parece melhorar os marcadores inflamatórios associados com o LES e mostra uma tendência para a melhoria geral da doença. Eles solicitam testes maiores para estabelecer uma ótima dosagem de vitamina D para pacientes com LES.

Os autores concluem,

“Vitamina D, um agente seguro, barato e amplamente disponível, pode ser tão eficaz quanto uma intervenção com supressores da doença para pacientes com LES.”

Com uma pesquisa como esta, esperamos que a vitamina D em breve se torne uma adição comum para tratamento padrão do LES.

Referências

Abou-Raya A, Abou-Raya S, Helmii M. The effect of vitamin D supplementation on inflammatory and hemostatic markers and disease activity in patients with systemic lupus erythematosis: A randomized placebo-controlled trail. The Journal of Rheumatology. Dec 2012.

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte: Vitamin D Council