A vitamina D e a fertilidade feminina

Além dos efeitos conhecidos da vitamina D na manutenção da homeostase do cálcio e da imagespromoção da mineralização óssea, existem algumas evidências que sugerem que a vitamina D também module processos reprodutivos humanos. Neste estudo, publicado este mês no Current Opinion in Obstetrics and Gynecology, pesquisadores da Áustria e da Alemanha revisaram os estudos mais interessantes e relevantes sobre a vitamina D e a fertilidade feminina, publicados ao longo do ano passado.

Segundo eles, vários estudos observacionais relataram um melhor resultado da fertilização in-vitro em mulheres com níveis suficientes de vitamina D (≥ 30 ng/ml), que foram atribuídos principalmente aos efeitos da vitamina D sobre o endométrio. Um estudo controlado randomizado constatou um aumento da espessura endometrial em mulheres com síndrome dos ovários policísticos (SOP) recebendo vitamina D durante os ciclos de inseminação intra-uterina.

Além disso, a suplementação de vitamina D teve um efeito benéfico sobre os lipídios séricos em mulheres com SOP. O tratamento da vitamina D melhorou a endometriose em ratos e o aumento da ingestão de vitamina D foi relacionado a uma diminuição do risco de endometriose incidente.

A vitamina D também foi associada positivamente com a dismenorréia primária, leiomioma uterino e a reserva ovariana em mulheres em idade reprodutiva final.

Os autores concluíram:

“Em mulheres submetidas a fertilização in vitro, um nível suficiente de vitamina D (≥ 30 ng/mL) deve ser obtido. A suplementação de vitamina D pode melhorar os parâmetros metabólicos em mulheres com SOP. A alta ingestão de vitamina D pode proteger contra a endometriose.”

Fonte

Vitamin D and female fertility. Abr 2014.

** Se você gostou deste post, por favor considere “curtir” a página Vitamina D – Brasil no Facebook.

Leia também:

Anúncios