Nova interação descoberta entre a vitamina D e determinada proteína na tuberculose

Uma pesquisa recente revelou que níveis suficientes de vitamina D podem ser necessários para que uma proteínapetri-dish-with-red-fluid-620x412 específica seja capaz de se defender contra as bactérias da tuberculose.

A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa causada por uma bactéria que infecta principalmente os pulmões. Ela pode ser transmitida pelo ar quando uma pessoa infectada tosse ou espirra.

Pode ser latente ou ativa. A TB latente é quando uma pessoa está infectada com a bactéria, mas pode não ficar doente. A TB torna-se ativa quando as bactérias começam a crescer e não podem ser detida pelo sistema imunológico. As pessoas com tuberculose ativa, muitas vezes adoecem e podem transmitir a bactéria para outras pessoas.

Historicamente a terapia de sol foi usada para ajudar a tratar a tuberculose. Os médicos faziam com que os pacientes ficassem sob a radiação ultravioleta-B, o que ajudaria a curar a doença. Pelo motivo dos comprimentos de ondas ultravioleta B do sol serem responsáveis ​​pela produção de vitamina D na pele humana, os pesquisadores acreditam que a vitamina D possa desempenhar um papel.

Agora, pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Los Angeles constataram que uma proteína específica chamada interleucina-32 (IL-32), desempenha um papel fundamental na prevenção da TB latente de tornar-se ativa. A IL-32 é uma proteína que inicia a inflamação para ajudar a combater as bactérias invasoras.

“Até agora, não havia nenhuma maneira de predizer, com base em fatores biológicos, porque indivíduos com infecção latente não desenvolvem a tuberculose ativa”, disse o pesquisador Dr. Dennis Montoya.

Para descobrir a importância desta proteína, os pesquisadores analisaram os genes de células do sistema imunológico anteriormente associados com a morte de bactérias da tuberculose em pacientes com tuberculose latente.

Eles descobriram que as pessoas eram mais propensas a ter TB latente se tivessem níveis mais elevados de IL-32, mas que a IL-32 só foi capaz de destruir as bactérias que causam a tuberculose se os pacientes também tivessem níveis suficientes de vitamina D.

“Quando os níveis de vitamina D foram baixos, a IL-32 não foi capaz de matar as bactérias”, declarou Dr. Robert Modlin, pesquisador principal do estudo.

“No entanto, quando nós simulamos o efeito de indivíduos que suplementaram, pela adição de vitamina D para a cultura das células imunes ativadas que tinham baixos níveis, a IL-32 recuperou a sua capacidade de provocar a morte. Nossos resultados sugerem que o aumento do padrão de ingestão diária de vitamina D pode ajudar a proteger contra uma pandemia de tuberculose. “

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte Vitamin D Council

** Se você gostou deste post, por favor considere “curtir” a página Vitamina D – Brasil no Facebook.

Leia também:

Anúncios

Vitamina D: um agente anti-infeccioso universal

Antes da era dos antibióticos, o tratamento de pacientes com tuberculose era restrito à gripeexposição solar em sanatórios. Anos mais tarde, verificou-se que a vitamina D estimula a produção de catelicidinas, uma família de polipéptidos encontrados nos lisossomos de macrófagos e leucócitos. As catelicidinas desempenham um papel crítico na defesa imunitária inata, a qual cumpre uma função importante na supressão de infecções.

Pesquisadores acreditam que o aumento da incidência do resfriado comum e da pneumonia durante o inverno esteja relacionado a diminuição da exposição à luz solar, a qual resulta em uma diminuição da síntese de vitamina D. Um estudo conduzido por pesquisadores da Itália e de Israel, publicado este mês no Annals of the New York Academy of Sciences, destaca o papel da vitamina D como um novo agente anti-infeccioso para uma ampla gama de doenças.

“Uma associação foi estabelecida entre baixos níveis de vitamina D e infecções entéricas e das vias respiratórias superiores, pneumonia, otite média, infecções por Clostridium, vaginoses, infecções do trato urinário, sepse, gripe, dengue, hepatite B, hepatite C e infecções por HIV. Acumulando evidências que sugerem que vitamina D exerça efeitos protetores durante as infecções pela regulação positiva da expressão de catelicidinas e β-defensinas 2 nos fagócitos e nas células epiteliais. A vitamina D pode atuar como um agente antibiótico panaceal e, assim, ser útil como uma terapia adjuvante em diversas infecções”, resumem os autores.

Fonte

Vitamin D: a new anti-infective agent? Mar 2014.

** Se você gostou deste post, por favor considere “curtir” a página Vitamina D – Brasil no Facebook.

Leia também:

Vitamina do sol – Uma potente defesa contra novas cepas de tuberculose mortal

Com as superbactérias da tuberculose resistentes aos antibióticos em ascensão em todo o imagesmundo, os remédios naturais são cada vez mais importantes para combater a propagação desta grave doença. O consumo de níveis adequados de vitamina D é crucial não apenas para um sistema imunitário saudável, mas também para provocar a produção de péptidos antimicrobianos que inibem especificamente a bactéria. Como uma defesa barata e extremamente eficaz, esta humilde vitamina deve desempenhar um papel de liderança na dieta diária de todos.

A ascensão das  superbactérias da tuberculose

Conforme revelado no artigo da NaturalNews, “Especialistas em saúde alertam para a ameaça mundial da tuberculose incurável”, novas variedades perigosas da bactéria da tuberculose (TB) estão se tornando assustadoramente mais prevalentes. As intervenções médicas modernas podem se provar serem completamente inúteis em um futuro próximo, devido ao fato de que 30 por cento dos novos casos de tuberculose são da variedade resistente aos antibióticos (MDR). Mas não temos que nos esconder em nossas casas na esperança de não sermos expostos. Em vez disso, uma medida de ação preventiva pode manter famílias e comunidades em segurança.

A vitamina D fornece um raio de esperança

Mais uma vez, a vitamina d oferece proteção contra a doença onde a medicina convencional falha. Em um estudo publicado pela Science, pesquisadores descobriram que a vitamina D não apenas provocou uma resposta imune elevada para Mycobacterium tuberculosis, mas também apoiou uma “indução dos peptídeos antimicrobianos catelicidinas” que destroem as bactérias. Além disso, uma pesquisa  na Indonésia descobriu que a recuperação foi acelerada pelo uso da vitamina D em pessoas que estavam com a doença. 67 pacientes com tuberculose foram avaliados por oito meses na Clínica de Pneumologia do Hospital Cipto Mangunkusumo em Jacarta. Os participantes receberam vitamina D ou placebo em um estudo randomizado, duplo-cego durante seis semanas de tratamento. Cem por cento daqueles que receberam a vitamina D apresentaram melhoras significativas em relação aos 76,7 por cento do grupo placebo.

A vitamina do sol, historicamente usada para prevenir e tratar a tuberculose

Sob a forma de óleo de fígado de bacalhau e de luz solar, foi amplamente utilizada no século 19 e início do século 20 no combate à tuberculose. O professor Sir Malcom Greene acredita que a “prescrição” generalizada de óleo de fígado de bacalhau pelos médicos durante esse tempo desempenhou um papel notável na redução das taxas da doença. A helioterapia, também conhecida como a terapia do sol, também era comum. Em “Tuberculosis – How Effective Is Cod Liver Oil?” Greene observa:

“O papel da vitamina D na luta contra a tuberculose proporciona uma base racional para a terapia da luz do sol, que foi amplamente praticada em pacientes em sanatórios antes da quimioterapia se tornar disponível, pelo que a vitamina D é sintetizada na pele quando exposta ao sol. Pacientes foram tirados de seus leitos e deitados ao sol no verão e no inverno e muitos foram enviados para a Suíça e outros países ensolarados para tratamento.”

Com os antibióticos progressivamente sem êxito na prevenção e tratamento da tuberculose, parece que temos um círculo fechado. O uso tradicional da vitamina D pode em breve ultrapassar os limites da medicina convencional. Como um nutriente poderoso e econômico, a vitamina D vem a ser uma excelente aliada contra os perigos bastante reais desta doença fatal.

Referências

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte NaturalNews.com

Leia também:

Benefícios da vitamina D em pacientes com tuberculose respiratória

A manutenção de níveis suficientes de vitamina D pode ajudar as pessoas a respirarem 1964_airplanemelhor e pode até proteger contra a tuberculose, de acordo com pesquisa aceita para publicação no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism.

Os autores coletaram dados de 10 mil pessoas no âmbito da Coreia do National Health and Nutrition Examination Surveys . Os pesquisadores relatam que pessoas com um histórico de TB têm níveis significativamente mais baixos de vitamina D quando comparados com aqueles sem antecedentes de tuberculose. Eles também relatam que a função pulmonar melhorou quando os níveis de vitamina D aumentaram.

“Este estudo sugere que pacientes com TB podem se beneficiar ao receberem a terapia de vitamina D para melhorar sua função pulmonar”, disse o autor principal do estudo, Chan-Jin Choi, MD, PhD, da Universidade Católica da Faculdade de Medicina da Coréia. “A vitamina D também tem potencial como uma medida preventiva para TB. Mais pesquisas são necessárias para explorar o impacto da vitamina D sobre a doença.”

Referências

Benefícios da vitamina D em pacientes com tuberculose respiratória. Medical Xpress. 26 de marco de 2013.

Tradução Vitamina D – Brasil

Fonte Vitamin D Council

Leia também

Vitamina D tem papel crucial na resposta do corpo à tuberculose.

Doença é responsável pela morte de quase 1,8 milhão de pessoas por ano em todo o mundo18389_348308221931895_486082694_n

O nível de vitamina D desempenha um papel crucial na resposta do sistema imunológico às infecções provocadas pela bactéria da tuberculose, segundo um estudo publicado na revisa “Science Translational Medicine”.
A tuberculose causa a morte de aproximadamente 1,8 milhão de pessoas por ano em todo o mundo.
A vitamina D, assinala o artigo, é mais um hormônio natural que uma vitamina, e tem um papel importante no desenvolvimento dos ossos, ajuda na proteção contra o câncer e as doenças auto-imunes e na luta contra as infecções.

O estudo foi financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos e agências de pesquisa científica da Alemanha e da Coreia do Sul, e teve a liderança de Mario Fabri, da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.
No estudo, os cientistas examinaram os mecanismos que regulam a capacidade do sistema imunológico para matar ou inibir o crescimento de bactérias como a Mycobacterium tuberculosis, a causadora da tuberculose.
A equipe determinou que os linfócitos liberam uma proteína chamada interferon, que inicia a comunicação entre essas células brancas e as dirige ao ataque contra as bactérias invasoras.

Para que essa ‘convocação à batalha’ seja eficaz, porém, se requer nível suficiente de vitamina D.
As pessoas com pele mais escura foram, tradicionalmente, mais suscetíveis à tuberculose, e há regiões na África com as maiores taxas de infecção.
Os cientistas acreditam que isso se deve, em parte, à melanina, que protege as pessoas dos raios ultravioleta mas que também reduz a produção de vitamina D.
A pesquisa registrou uma redução de 85% das bactérias de tuberculose em células macrófagas humanas tratadas com interferon na presença de nível insuficiente de vitamina D.

Fonte Estadão